Mudar de opinião - Deize Andrade

Mudar de opinião, eu?

Já ouviu essa: “Dou um boi pra não entrar na briga e uma boiada para não sair dela”?

 

Discussões intermináveis dentro de grupos de trabalho, reuniões que se estendem além do previsto, casais que brigam feio, relações de amizade que terminam porque um dos lados não consegue arredar o pé da sua posição são situações que todos nós conhecemos.

 

Muitos casos terminam com um dos lados cedendo, por iniciativa própria ou por pressão do mais forte – a reunião tem que acabar, a discussão não termina e o líder dá o tom dos próximos passos, ou o “mais forte” é simplesmente um manipulador e acerta na jugular do outro.

 

Mas não é do processo de negociação que quero falar aqui. Meu objetivo é fazer pensar por que é tão difícil mudar e ainda criamos o estereótipo de que mudar de opinião é fraqueza.

 

O que nos causa essa teimosia e surdez ao que o outro nos diz?

Qual a razão para entrarmos em um debate com ideias preconcebidas?

Por que não nos abrimos ao que o outro nos trará para então expor nossa opinião – a que já tínhamos ou uma nova e fresca – só depois de analisar o que nos chegou no momento?

 

Se você não ouve, é líquido e certo que não aprenderá nada novo e não vai mudar de opinião nunca. E como é que fica aquela máxima de que estamos em constante evolução, em desenvolvimento de nossas habilidades interpessoais, que a empatia é o que nos faz criar conexões verdadeiras? Só no livro?

 

Não! Com todas as mudanças nos últimos anos, certamente a maioria de nós está tratando de melhorar suas competências. Mas, dentro de nós, ainda temos medo de errar, medo do julgamento alheio, de que não sejamos firmes e confiáveis. E quanto mais fundo o assunto bate, mais nos fechamos e nos agarramos à opinião que já temos.

 

Opinião ou conhecimento de causa?

 

Vou definir opinião como uma ideia que formamos sobre um determinado assunto, sendo ou não profundamente conhecedores do mesmo.

 

Quando temos conhecimento sobre a matéria, pode ser mais fácil modificar a forma de pensar, se estivermos nos atualizando com frequência. Com a cabeça aberta, escutamos mais, somos mais curiosos sobre o que o outro possa trazer para ampliar o que já temos e, aí sim, somos mais suscetíveis a repensar o que já sabíamos e assumir um novo ponto de vista.

 

Porém pode ser mais difícil, se cristalizamos o nosso profundo conhecimento, e, achando que sabemos mais que os outros, nos mantivermos duros em nossas posições. Aí fica difícil, mas, como sou otimista, convido a refletir sobre o que tem acontecido em nossas vidas com o avanço da tecnologia.

 

Tanto no universo profissional quanto no pessoal, coisas novas surgem todos os dias, alterando nosso modus vivendi e temos que ser capazes de nos transformar muito rapidamente também, ou ficaremos para trás. O provérbio “a única certeza é que tudo muda” não pode ser mais ignorado! Então por que não podemos mudar de opinião?

 

Oras, mudar é possível e pode ser muito bom!

 

Neste artigo, falo de consistência na comunicação. E o que isso tem a ver com mudar de opinião? É preciso deixar claro que a mudança é sempre bem-vinda e significa sabedoria, jamais inconsistência. Ser consistente significa que, ainda que mudemos nossa perspectiva, continuamos agindo de acordo com o que falamos, nos comportando em sintonia com os valores que declaramos.

 

Mudar de opinião é deixar um pensamento, até então tido como certo, e assumir uma nova ideia. Essa capacidade de adaptar-se ao novo é cada vez mais necessária para sermos bem-sucedidos. Além disso, ter a mente aberta, como um eterno aprendiz, nos trará novas pessoas e novos conhecimentos. Isso nos levará a novos filmes, novos livros, a lugares nunca dantes visitados, e o mundo se abrirá à nossa frente. Pode ser muito mais interessante que uma vida com tudo igual, que não muda nunca!

 

Ah… mas quem muda de opinião a toda hora não é instável, pouco confiável, “Maria vai com as outras”? Pode ser… mas esses claramente nunca têm uma opinião formada sobre nada, e esse não é o meu tema.

 

Como mudar de opinião sem parecer instável?

 

Reconhecer que ouviu algo que lhe fez refletir e chegar a uma nova conclusão mostra o seu grau de maturidade e a capacidade de escutar e aprender.

 

As pessoas que se expressam com segurança e firmeza ao colocar um novo ponto de vista são percebidas como humildes, algumas vezes até como corajosas, e costumam ser respeitadas por isso. Embora eu considere que mudar de opinião seja algo natural, para muitos é um processo mais complexo e esses enxergam essa habilidade como um diferencial.

 

Como driblar a teimosia

 

Se a única certeza da vida é que tudo muda a toda hora, não há qualquer demérito em mudar de opinião e ser teimoso não ajuda em nada então, comece revisando seus conceitos e exercite sua comunicação.

 

Escute de verdade, amadureça suas ideias, incentive sua própria curiosidade e a daqueles à sua volta, faça perguntas, abra debates saudáveis, observe ambientes como se fossem novos. Pessoas que funcionam assim ouvem, processam e se posicionam. E quando mudam de opinião, mudam porque refletiram e encontraram uma nova forma de ver e sentir o que lhes foi apresentado.

 

É um aprendizado, especialmente para aqueles que não são assim por natureza. Porém, nós todos podemos fazê-lo! Basta mudar de atitude. Basta colocar o foco em ter melhores relações, em conectar-se mais com as outras pessoas, em ser mais feliz que ter razão. Entender que, se deixamos o novo entrar, em pouco tempo esse desconhecido já nos será íntimo e poderemos desfrutar dele confortavelmente. E aí, já será hora de mudar tudo novamente!!!

 

Acredite em mim quando digo que vale a pena. Não só pela quantidade de novidades que farão sua vida mais divertida e estimulante, como para ter mais flexibilidade para enfrentar os tempos incertos e velozes que estamos vivendo.

 

Pra terminar, que tal experimentarmos para ver se funciona? Se eu lhe fiz repensar alguma ideia ou se discorda de algum ponto, você me deixa nos comentários? Vou ler, refletir e se eu mudar de opinião, volto para lhe contar!

 

Obrigada por ler o artigo e, se achar que ele pode ajudar a outras pessoas, por favor, compartilhe em suas redes!

 

Sou Estrategista em Imagem e Marca Pessoal, e o que mais gosto do meu trabalho é impulsionar o crescimento das pessoas, contribuindo para que se sintam mais contentes com suas vidas.

 

Se quiser saber mais, entre em contato comigo.

 

Direitos autorais da imagem: rromer on Visual hunt / CC BY-NC-SA

 

0 Comments
Share Post
No Comments

Post a Comment